abril de 2011

ATELIÊ OÇO: ALTERNATIVAS PARA DAR VOZ E VISIBILIDADE AOS QUE SE ENCONTRAM ÀS MARGENS

Claudinei Roberto

 

 

 

 

 

fotos Danilo Pêra

 

 

 

 

 

Existe um consenso sobre a necessidade de criarmos alternativas que dêem voz e visibilidade àquela parte da população que, sendo em nosso país a maioria, continua à margem dos interesses do estado, do mercado e, quando não, da própria sociedade.

 

Falamos aqui nos negros, mas também de todos os agentes sociais historicamente excluídos, como as mulheres, jovens e despossuídos de diferentes matizes.

 

As artes plásticas, assim como todas as outras engrenagens do sistema onde a exclusão é reproduzida, também refletem este mal sedimentado pelo tempo.

 

 

Da necessidade de encontrar um meio de contestar essa situação ou, antes, resistir a ela, nasceu o Ateliê OÇO. O espaço fica no centro da cidade de São Paulo, entre a Sé e a Liberdade, especificamente na praça Carlos Gomes, onde convive, pacificamente, com um centro de Umbanda, um centro Espírita, uma igreja Evangélica, uma Católica, uma livraria alfarrabista, vários restaurantes chineses e um prostíbulo, suportando a cidade e usando-a como suporte.

 

Sítio de produção, pesquisa, exposições e discussões acerca da arte contemporânea. Casa onde a sensibilidade inquieta do artista e do fruidor de arte encontra interlocução, diálogo e abrigo. Apareça, compareça e traga sua contribuição!

 

 

 

 

 

 

 

 

+
ATELIÊ OÇO
Praça Carlos Gomes, 115
Liberdade
atelieoco.com.br

 

 

 

 

 

Claudinei Roberto

CLAUDINEI ROBERTO é curador independente. Foi Coordenador do Educativo no Museu Afro Brasil e proprietário do Ateliê OÇO. Graduado em Educação Artística pela ECA-SP.

A Revista O Menelick 2º Ato é um projeto editorial de reflexão e valorização da produção cultural e artística da diáspora negra com destaque para o Brasil.